16 de mai de 2011

Cegueira para as feições

@pv_lopes



O fim parece trazer a cegueira para as feições. Aquele rosto, que parecia tão belo, perturba a cada momento. Transforma todas as pessoas em uma mesma, todos os rostos em um só.

Aquele que parecia ser o grande amor, e que por isso foi levado a todas as provas, mostrou-se vulnerável. Frágil, como não deve ser um sentimento incondicional. Efêmero, como uma troca de olhares.

Descobre-se que o amor só era grande para que pudéssemos depositar nele todas as nossas esperanças. Todos os projetos confiados em uma mochila imaginária colocada nas costas da pessoa que queremos mais próxima de nós.

Pegamos a mochila de volta. O grande amor chegou ao fim. As feições precisam ser reconhecidas novamente.

Um comentário:

  1. Certa vez li algo parecido, dizia mais ou menos assim: o grande amor só é grande pq depositamos todos os pesos em cima dele e, exatamente por isso, ele acaba cedendo. Por ser chamado de 'grande amor' supomos que ele vá suportar - ledo engano. Sacrificamos o insacrificável.

    É horrível um exército de um rosto só. Já vivi isso. Às vezes acho que jamais deixarei de viver. Noutras penso que foi só um pesadelo. Depois penso que já acordei. E por vezes concluo que o pesadelo é constante.

    "já não ponho todas as fichas na mesa/
    agora...jogo algumas no chão"

    Au revoir,

    Nicera

    ResponderExcluir